Marielle Franco/Foto: Midia Ninja/ (CC)

O escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos divulgou nesta quinta-feira, 15, nota sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL), do Rio de Janeiro, e de seu motorista, Anderson Pedro Gomes. Abaixo o comunicado assinado por Liz Throssell, porta-voz do ACNUDH:

“Condenamos o profundamente chocante assassinato no Brasil da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco e de seu motorista. Marielle foi uma reconhecida defensora dos direitos humanos que atuava contra a violência policial e pelos direitos das mulheres e das pessoas afrodescendentes, principalmente nas áreas pobres. Entendemos que as autoridades se comprometeram a realizar uma completa investigação dos assassinatos ocorridos no Rio de Janeiro na quarta-feira à noite. Apelamos para que essa investigação seja feita o quanto antes, e que ela seja minuciosa, transparente e independente para que possa ser vista com credibilidade. Os maiores esforços devem ser feitos para identificar os responsáveis e levá-los perante os tribunais”.

O assassinato chocou todos os brasileiros. Artistas como Gloria Pires, Sergio Guizé, Michel Melamed, Patrícia Pillar, Marcos Palmeira, Zélia Duncan, Marcos Veras, Eri Johnson, Letícia Spiller, Marisa Monte, Arnaldo Antunes, Murilo Benício, Zezé Motta, Thiago Lacerda, Fabio Assunção, Maria Flor, Guilherme Piva, Elza Soares, Juliana Alves, Luís Miranda, Letícia Sabatella, Juliana Didone, Monica Martelli, Matheus Nachtergaele, Marcelo Tas, Nathalia Dill, Virginia Cavendish, Nanda Costa, Katia Moraes, Maria Maya, Aisha Jambo, os autores Walcyr Carrasco e Rui Vilhena, entre outros manifestaram repúdio ao ocorrido, nas redes sociais, com mensagens como: “Quantos mais vão precisar morrer para que essa guerra acabe?”; “Sua voz não vai se calar! #luto #luta”; “Marielle Presente, Hoje e Sempre”.

Deixe um Comentário